“A ideia de termos uma linha orgânica veio dos nossos filhos. Eles que nos trouxeram essa consciência do orgânico. Até então, o nosso foco estava em oferecer um produto de qualidade e saudável.”

Antipasti – Sabor e qualidade à mesa

A preocupação com uma alimentação saudável e natural sempre esteve presente na vida pessoal e profissional do casal Renata e Armando Petrone, proprietários da Antipasti, marca associada à Organis que produz antepastos orgânicos. 

Com uma receita italiana de tomate seco caseiro da avó da Renata na bagagem, em 1993, o casal mudou de São Paulo para Novo Horizonte, região produtora de tomate no interior do estado. 

Aos poucos, desenvolveram um método próprio para produzir tomate seco artesanal em escala. “Deu muito certo. Estávamos no lugar certo na hora certa. Coincidiu com o período que tomate seco virou febre no país, e tivemos uma ótima aceitação devido à qualidade do nosso produto”, lembra Renata.

Naquela época, quando ainda não se falava em comida de verdade, ultraprocessados e clean label (rótulo limpo) o casal já se preocupava em oferecer um produto sem conservantes e aditivos artificiais. 

“Ter um produto de qualidade, saboroso e que mantivesse as características de artesanal era natural para nós. Já fazia parte do que somos. E achávamos que isso era o certo a fazer”, diz Renata Petrone.

Em 2014, a empresa lançou a marca Antipasti, de antepastos artesanais e gourmet voltados para o varejo e, há um ano, a linha de antepastos orgânicos com seis produtos: tomate assado, quiabo grelhado, jiló grelhado, abobrinha com alecrim, cebolinha grelhada e berinjela grelhada.

Em apenas um ano, a linha orgânica já representa 30% das vendas da Antipasti. Os antepastos orgânicos podem ser encontrados em lojas de produtos premium, como Casa Santa Luíza, Eataly, St Marché, Solli Orgânicos e Empório São Paulo.

“A ideia de termos uma linha orgânica veio dos nossos filhos. Eles que nos trouxeram essa consciência do orgânico. Até então, o nosso foco estava em oferecer um produto de qualidade e saudável”, conta Renata.

Os antepastos são feitos com uma técnica própria, em baixíssima temperatura, para preservar as condições nutricionais e organolépticas do alimento, como a textura, a cor e o sabor. Não são pasteurizados. São embalados a vácuo, precisam ser mantidos refrigerados e têm uma validade de 45 dias para não correr o risco de oxidar ou perder suas características.

Outra vantagem da marca que ajuda a manter a qualidade dos antepastos é a proximidade com os agricultores. Os produtos são colhidos e entregues no mesmo dia, e processados em até 24 horas, garantindo seu frescor e vitalidade. “Temos a facilidade de estar no meio de dois polos de produtores orgânicos, um na região de Itápolis e outro na região de São José do Rio Preto. E o que é mais legal, é que não precisamos comprar só produtos de primeira linha, o que reduz descarte e diminui o desperdício”, conta Renata.

Ela explica que os produtos considerados segunda linha são os que estão fora do padrão de mercado, mas possuem a mesma qualidade e frescor. “Saber que conseguimos transformar um alimento que seria descartado em um produto classe A é algo importante, que nos faz muito bem, pois contribui com o desafio de reduzir o desperdício de alimento no país”.

Por Milena Miziara

Compartilhar

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook