Artigos e Notícias

Os orgânicos e o e-commerce, um mundo de oportunidades

O futuro é aqui, o futuro é agora!

Apesar do momento delicado que o país atravessa, o segmento verde vai muito bem, obrigado.

Cada vez mais as pessoas buscam por qualidade de vida e sem dúvida os produtos orgânicos e naturais são essenciais nessa saudável transformação.

Antenadas com esse crescimento, atualmente mais de 30% das indústrias pelo mundo investem em alimentos saudáveis.

Ser saudável no corpo e na mente são palavras que incrementam um mercado milionário e que caminha paralelo à alimentação saudável.

Alimentos, cosméticos, produtos de limpeza, higiene pessoal, ração para pets e mais uma infinidade de produtos estão sendo fabricados para o segmento verde.

No Brasil não é diferente onde quase 3 bilhões de dólares de investimentos acumulados nesse segmento impulsionaram um extraordinário crescimento dessa economia emergente.

Orgânicos no e-commerce, cadê o público?

A tecnologia como ferramenta para alcançar seu público é um grande diferencial tanto na esfera macro do alcance, quanto nos baixos custos envolvidos na implantação das vendas por meio online.

Um dado importante para aqueles que desejam saber se vale a pena ou não investir esforços nessa busca, é que o brasileiro está mais consciente e mais preocupado com a sua saúde e com o que o mercado alimentício tem a oferecer.

Segundo pesquisa realizada pela *Gfk o povo brasileiro é o mais saudável do mundo e quando vai às compras tende a buscar alimentos mais saudáveis pensando na sua saúde e da sua família e 65% consomem alimentos ricos em vitaminas e minerais, enquanto a média mundial é de 51%.

Marketplace ou Venda Direta?

Assim como qualquer negócio, montar um e-commerce para produtos orgânicos não é tarefa fácil.

Exige muito conhecimento em diversas áreas distintas e muitas vezes por não saber ou não ter a experiência necessária em alguma área o seu e-commerce pode ter um desempenho ruim.

Quando isso ocorre acaba gerando muitas dúvidas e pode causar também o fechamento do negócio online.

Compreender tudo o que acontece na sua loja virtual, melhoria constante da performance em geral, identificação de pontos de melhorias e novas oportunidades, devem ser os objetivos de todos que desejam vender produtos para o segmento verde por meio online.

Depois de montado o projeto, deve-se escolher uma estratégia de vendas:

Marketplace – As vendas por marketplace (lugar de vendas) funcionam dentro de um único endereço eletrônico onde várias empresas ou vendedores oferecem seus produtos, estabelecendo conexão direta com o cliente sem a necessidade de intermediários. Também é conhecido apropriadamente como shopping online, nesse modelo não há o CAC (Custo de Aquisição de Cliente). A propósito, já existem marketplaces específicos para produtos orgânicos esperando por bons produtos e bons parceiros.

Venda Direta – As vendas são feitas através da sua própria loja virtual diretamente ao cliente, necessitando estratégias de branding e marketing digital para fortalecer a marca, capitar público por afinidade, divulgar suas promoções e vender através do seu carrinho de compras.

Conclusão

A verdade é que não existe um modelo certo ou um modelo errado para adotar como estratégia de vendas online.

A adoção de um modelo de vendas ideal, podendo-se em muitos casos até optar-se pelos dois modelos, requer estudo de um consultor especializado em e-commerce.

Uma consultoria de e-commerce deve traçar um bom plano de negócios, indicar as melhores plataformas, abordar conceitos fundamentais sobre logística, estudar a viabilidade financeira, definir e até gerir as estratégias e as campanhas de marketing.

Fiquem a vontade para tirar dúvidas e obrigado.

Desejo sucesso a todos.

bruno

Bruno Freitas Eloi
Consultor de Marketing Digital e Consultor de E-commerce
bruno@imagemearte.com

Os artigos assinados são de responsabilidade dos seus respectivos autores e não refletem necessariamente a opinião do Organis.